quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Professores, quem são eles?


 
 




Numa universidade, um professor em discussão com os alunos de Pedagogia que se queixavam que não podiam comprar os livros indicados, assim concluiu: “Desculpem, a vaga de empregada doméstica lá em casa já foi preenchida”. Um rapaz, 28 anos, formado em Letras, que comprava e lia livros de literatura e lingüística, pois pretendia fazer pós-graduação, ironizava: “Ganho muito melhor pintando muros e paredes que ensinando em sala de aula”.
A dignificação do professor passa pela luta por dignificação do trabalho e de sua remuneração; mas passa também por certas clarezas e lutas que ultrapassam os limites da sua sala de aula e da sua escola. Não fossem estas perspectivas maiores, o grande enigma permaneceria: o que faz com que o professor continue a fazer o que faz? Ou, então, quem é o professor de nossas crianças e de nossas escolas? Qual a sua identidade?
O certo é que são milhares de homens e mulheres que todos os dias saem de casa com seus livros e cadernos, vão para a escola, trabalham, desenvolvem muitas tarefas, às vezes abraçam umas crianças, às vezes as desprezam, às vezes as torturam com inúmeros exercícios inúteis e conhecimentos superados e vazios... cansam e retornam... E assim,  todas as semanas, todos os anos! Mudam as direções, os governos, os planos de educação, e eles permanecem:  quem são eles? Heróis, apenas funcionários, líderes visionários, uma casta de seres psicologicamente superiores? Quem é este homem ou mulher que ainda acredita que vale a pena investir na criança e no adolescente o melhor de sua vida?
Quem é este professor que não escolhe seus alunos, que leciona para todos? E, quem de nós, seja doutor ou gari, dona de casa, músico e até mesmo professor, enfim, quem já não teve um professor?
Quão grande és tua tarefa, pois tens em tuas mãos seres humanos, que muitas vezes só terão a ti para se espelhar, para dar-lhes uma palavra amiga e de esperança, de ajuda. E é de você professor, que muitas vezes seu aluno receberá um sincero e único abraço.
Aquele professor que é acima de tudo EDUCADOR, que acredita em sua missão e confia na sua força e determinação. Que luta diariamente para realizar seu trabalho, enfrentando muitas vezes dificuldades e falta de recursos e mesmo assim continua sua tarefa de educar.
A vocês que podem e devem ser chamados de MESTRES, pois como dizia um dos grandes mestres “Ser mestre não é apenas lecionar. Ensinar não é apenas transmitir matérias. Ser mestre é ser instrutor e amigo, guia e companheiro. É caminhar com o aluno passo a passo, é transmitir e ele o segredo da caminhada”. ( Piaget, 1970).
A todos vocês, neste dia tão especial e em todos os dias de suas vidas, professores, educadores, mestres, não importa como os chamamos, o importante é que fazem parte de nossas vidas, da construção do homem, da melhoria do mundo, através de sua tarefa que na maioria das vezes não é nada fácil. Que Deus os ilumine neste dia e sempre para que continuem está missão tão divina.
Parabéns pelo seu dia, e que este dia seja todos os dias do ano.
Não posso deixar de agradecer e parabenizar aqui a meus professores, aos professores de meu filho, a quem devemos boa parte do que somos hoje. Obrigada professores e mestres, desde o primário até a universidade.  Vocês fazem parte da nossa história, da história de toda a humanidade.
Sejam Felizes, pois vocês são responsáveis pela felicidade de muita gente.



                           Tania Beatriz Selbach Jadoski

                                                               Pedagoga – Orientadora Educacional
                                                                e-mail: taniajadoski@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário