quarta-feira, 7 de setembro de 2011

COMO ESTUDAR!

      Projeto que vem sendo realizado por mim nas turmas de 5º e 6º anos na escola Municipal Pio XII e com alunos do Ensino Fundamental 5ª à 8ª séries da escola Estadual Dr. Mário Totta.
      Em pesquisa realizada com os alunos, verifiquei que muitos deles não tinham hábitos de estudos em casa e que também não sabiam como estudar, porém na sua maioria ficam várias horas na frente do computador, nas redes sociais, jogos e  não tinham um horário para complementar os estudos em casa.
    Muitos deles mostraram que não sabem como estudar e não possuem estímulos para os estudos. Primeiramente iniciei um trabalho onde deveriam pensar no que os motiva ou poderia motivar a estudarem e dedicarem maior tempo aos estudos em casa e até mesmo um melhor rendimento na escola. Infelizmente muitos deles não tinha muitos estímulos que os levassem a melhorar seu desempenho escolar, nem mesmo possuíam interesse. Tentei fazê-los repensar os estímulos e a valorizarem mais seus estudos mostrando-lhes que são capazes de aprender e terem um bom desempenho. Porém é importante salientar que a escola também deve transformar-se em um local prazeiroso e que proporcione mais significados para   o aprendizado. Quando o aluno não vê significado naquilo que estão lhe ensinando, também não demonstram interesse em aprender. São muitos os estímulos e coisas que estão ao alcance dos alunos nos dias de hoje, tornando-se cada vez mais difícil para a escola manter os alunos interessados nos estudos.  Devemos salientar que muitas famílias encontram-se perdidas em relação a cobrarem limites e obrigações dos filhos. Eles colocam sem nenhum pudor que seus pais não lhe cobram que estude em casa, que sabem que ficam horas no computador. Penso que os pais devem sim, olhar os cadernos dos filhos, não somente perguntar se tem temas, mas cobrar um horário de estudos em casa, ir na escola com mais frequência,  conhecer os professores do seu filho e principalmente buscarem as avaliações no final de cada trimestre. Se nem a família, muitas vezes,  não se preocupa em saber como está o rendimento escolar do filho, porque ele irá se preocupar. Sabemos que a maioria dos pais e mães, hoje em dia, trabalham fora, mas isso não deve servir de desculpas para negligenciar os estudos de seus filhos, motivo de irem, muitas vezes, somente no final do ano na escola e dizer que "não sabia que o filho estava mal". Hora! Será que não tem como dar uma fugidinha do trabalho, ligar ao menos para a escola, até mandar um bilhete para a professora. Quando a gente quer, sempre dá-se um jeito, mas tratando-se de filho, não podemos dar somente um jeito, devemos sim, nos preocuparmos, acompanhá-los sempre, cobrar, ajudar e obviamente amar.Claro que não são todos os pais, tem pais maravilhosos e participativos.
   Mas voltando ao projeto:
Um dos problemas  mais freqüentemente detectados em casos de baixo rendimento escolar, é a ausência, ou má formação de hábitos de estudo.
Há muitas formas de aprender.
· Através de situações de vida... vivemos, sentimos, agimos e reagimo participando da vida dos demais.
·  Através do ensino formal... o aluno recebendo orientação do professor.
· Através do estudo individual... aprendendo sozinho, por iniciativa própria ou a partir da orientação do professor.
Na realidade usamos as três formas de aprender. Frequentamos às aulas, realizamos estudo individual, enquanto continuamos aprendendo as coisas do dia a dia.

Mas, importante é que o aluno estude. A complementação da aula pelo estudo individual ajuda a fixar o aprendido, enriquece e aprofunda conteúdos, possibilitando a elaboração de conclusões pessoais.
Só que nem todos sabem estudar. O mais importante é estar motivado, ter interesse.
Ter um motivo, é sentir necessidade de alcançar a meta, é querer agir e se esforçar para alcançá-la.
Entre as habilidades que dependem de treinamento e aprendizagem destacamos:
-  seleção da técnica de estudo adequada.
-  Leitura e interpretação.
-  Observação compreensiva.
-  Transferência de aprendizagens anteriores.
-  Análise de detalhes significativos.
-  Síntese e conclusões do estudo.
O que o aluno vai estudar, como vai estudar e o quanto o seu estudo vai render, dependerá da adequação e seleção da técnica de estudo.

TÉCNICAS DE ESTUDOS:
- De corando;
- Destacando Ideias;
- Lendo em voz alta;
- Copiando tudo;
- Pesquisando;
- Fazendo questionário;
- Resumindo;
- Fazendo esquemas;
- Criando letras de músicas;

OBS: Para aprender vale tudo. O que a sua imaginação permitir. Estás são algumas técnicas mas o aluno pode criar a sua própria técnica de estudo. O importante é que esteja motivado a aprender. Quando descobrir que é muito bom "Aprender a aprender" ninguém mais lhe segura. O mais importante é encontrar a motivação necessária para ultrapassar os obstáculos que encontrar e seguir em frente. E obviamente não deixar para estudar no último dia. Nunca é tarde para aprender, basta querer. Sem QUERER tudo fica mais difícil.
                                                    
                          Alunos do 5º Ano trabalhando - Prof. Tânia Jadoski  Pio XII

                    Alunos da Escola Dr. Mário Totta - Trabalho com multimídia
                              Tem palhaçada? Tem sim senhor! Prof. Inês.
                                          Peça teatral - Prof. Márcio.
                                Alunas da 8ª série - Pio XII - Encenando:  
                                        Menina Bonita do laço de fita.

                                                   Apresentação de trabalhos

   Aprender pode sim ser legal. Dizer que não se tem recursos, sempre pode melhorar, é claro, mas também quando se quer, quando se faz com amor, sempre pode-se CRIAR. Juntos aprendemos mais e melhor.











 

Nenhum comentário:

Postar um comentário