sábado, 25 de fevereiro de 2012

PROJETO ADOLESCÊNCIA E SEXUALIDADE - PARTE 3.

CONCLUSÃO 

     Concluí neste projeto que possibilitou-nos a Verificação das diferenças individuais que se fazem presentes, das questões de gênero, questões que envolvem as religiões e suas crenças, as questões morais e éticas e com estes estudos puderam averiguar em que extensão cada indivíduo abrange os seus próprios objetivos estabelecidos de acordo com seus valores culturais, econômicos e sociais onde o que realmente importa é que se possa viver de forma digna com equilíbrio e bem estar físico e mental.  
     Que nós seres humanos somos sujeitos as mais diversas situações de riscos durante a vida e que o mais importante, é sabermos reconhecer nossa vulnerabilidade, fazendo sempre um investimento pessoal e coletivo onde se tenha um posicionamento otimista diante do cotidiano. Investimento também de solidariedade, responsabilidade, doação e firmeza de propósitos. Tudo isso, cultivando em primeiro lugar a sua própria auto-estima.
Concluiu-se também, que é importante mantermo-nos sempre informados, e finalmente estar livre de preconceitos,  que é, a meu ver, a mais perigosa das doenças no mundo.
   
Importante: Todos os pintinhos,após terem realizado o projeto deveríam ser doados ou criados pelos alunos. Neste projeto também se observou o respeito e o cuidado com  o animalzinho, tanto que quem não sentiu-se seguro para fazer, cuidou de um ovo. Claro que houve perdas, como há também em nossas vidas, mas não porque faltou cuidado e sim por fatalidades.  Se queremos que os alunos entendam a responsabilidade com a vida de uma criança, obviamente que terão também que respeitar a vida dos animais. Tem alunos que cuidam do seu pintinho até hoje, alhás, não é mais pintinho, já se tornaram galos ou galinhas.

Exemplo a Dilma que está até hoje na família. Linda né!


 Envolvimento da família. Mãe vem na escola buscar o pintinho. 


  FOI GRAVADO VÍDEO COM A AVALIAÇÃO DOS ALUNOS. 
   ABAIXO VÍDEO DO ALUNO PEDRO.


Perdas também fazem parte da vida! 
O pintinho do aluno Pedro morreu três dias depois mas ficou na sua história. 


“O adolescente aborrece porque está gritando questões que, apesar de nos esforçarmos para que pareçam coisas do passado, continuam vivas dentro de nós. Ele está é mexendo nas nossas feridas.”
Francisco Daudt da Viega

Nenhum comentário:

Postar um comentário